4 ago · Bruna Monte · Sem Comentários

Como estabelecer limites?

Pequenas, mas cheias de vontade própria, as crianças na Primeira Infância vivem um processo de transformação para se tornarem mais independentes. Entretanto é necessário as proteger de situações perigosas. Como?

Apresentar limites e valores importantes à criança não deve ser feito apenas nos momentos de estresse, quando a criança faz algo que consideramos errado. Mas a educação deve ser contínua porque as crianças estão mais propensas a assimilar novos ensinamentos em momentos prazerosos.

Nos primeiros anos de vida a criança ainda não entende a relação causa e efeito. Se seu filho bater em você, não adianta revidar. A ausência de vocabulário suficiente para se expressar gera esses acessos de raiva. Nessas situações, é melhor tentar descobrir as causas da reação e ajudá-lo a usar palavras ao se manifestar.

“O grande erro, na verdade, é encher a vida da criança de ‘não’. Eis a razão: a criança precisa conhecer o mundo, e, para conhecer, precisa explorar. Um mundo cheio de “não” perde o interesse – a criança se retrai e perde oportunidades para aprender. ”, explica João Batista Oliveira, professor e idealizador da Rede Primeiros Passos.

Uma estratégia interessante é, em vez de dizer “Não pode morder o coleguinha! “, trocar o ‘não’ por uma argumentação convincente e oferecer uma outra alternativa semelhante à ação que ele pretendia fazer: “Se morder o coleguinha, ele vai chorar e ficar machucado. Nós mordemos comida, para comer, no coleguinha nós fazemos carinho.”.

Portanto, seja em casa seja na creche: a criança deve dispor de ambientes seguros onde ela poderá desenvolver sua curiosidade, testando tudo para conhecer os limites – inclusive o limite da paciência dos adultos por isso que é importante entendermos as peculiaridades dessa fase do desenvolvimento para saber lidar da melhor forma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + 4 =

Copyright © 2016 Rede Primeiros Passos