4 set · Bruna Monte · Sem Comentários

Como saber se sou uma mãe superprotetora?

Segundo o Prof. João Batista Oliveira, especialista em Educação, presidente do Instituto Alfa e Beto e idealizador da Rede Primeiros Passos, a suspeita de que você é superprotetora já é um bom indício de que isso pode ser verdade. Mas aqui estamos falando de níveis – crianças precisam de proteção, e cabe principalmente (e primeiramente) aos pais lhes assegurar isso.

 

Medir o nível de proteção talvez seja impossível. Parece que proteger, cuidar e procurar deixar a criança longe de todos os problemas e perigos do mundo nunca é demais. No entanto, é necessário fornecer um espaço seguro para que o pequeno experimente lidar com autonomia e aprenda que ele, por si próprio, também consegue se proteger de algumas coisas.

 

Em cada fase do desenvolvimento – e isso vale desde os primeiros meses, é possível observar se a criança tem estímulos e espaço para agir por conta própria. Isso vale para descobrir como fazer o “mobile” se mover ou para manifestar suas necessidades básicas.

 

Portanto, em caso de dúvida, siga a criança: observe se ela está sendo estimulada a se virar e se consegue fazê-lo com autonomia cada vez maior. Assim, você não precisará mais se preocupar em saber se é superprotetora. Se a criança consegue lidar com sua autonomia, provavelmente você sabe proteger de uma forma saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =

Copyright © 2016 Rede Primeiros Passos