20 set · Bruna Monte · Sem Comentários

Meu filho não sabe dividir os brinquedos. O que fazer?

Somos programados para sobreviver, e para sobreviver é preciso cooperar. As crianças nascem programadas para garantir a sobrevivência – choram, esperneiam e fazem os adultos entenderem suas necessidades.

Mas para cooperar, é preciso tempo para o cérebro amadurecer, para a linguagem se desenvolver, para saber como o mundo funciona e para ser modelada pelos adultos.

Crianças até dois anos precisam aprender o que é seu e o que é dos outros. Para isso, é necessário a intervenção de adultos: isso é seu, ninguém vai pegar, vou te proteger. Isso é dela, você não pode pegar.

Quando o brinquedo é só um (como o balanço no parquinho), é preciso aprender a esperar e a dar a vez depois de algum tempo. Às vezes há choro e ranger de dentes, mas nada que uma responsável experiente não consiga controlar. Quase sempre outro brinquedo ou outro estímulo bastam para a criança mudar de interesse. A convivência com crianças mais velhas, irmãos ou coleguinhas, ajuda o pequeno a aprender isso ainda mais depressa.

Por volta dos dois anos a criança já deve começar a aprender a dar a vez e compartilhar. Ao brincar ao lado das outras, elas acabam trocando brinquedos. Ao começar a interagir, elas logo entendem as vantagens das trocas. É importante que os responsáveis ajudem a introduzir uma linguagem adequada para pedir, agradecer e estimular as trocas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × dois =

Copyright © 2016 Rede Primeiros Passos